A lei da semeadura – por Carlos Alberto

Na vida em certos momentos nos encontramos a questionar porque passamos por tantas dificuldades ou porque mesmo sem ter feito aparentemente nada de extraordinário somos beneficiados e abençoados.

Acontece que nossas atitudes de certa forma determinam nosso futuro. O apóstolo Paulo nos explica através da Bíblia Sagrada mais precisamente na carta aos Gálatas no capítulo 06, versículo 07, sobre a Lei da Semeadura.

É uma lei simples que nos ensina que tudo o que o homem plantar ele vai colher, ou seja, se hoje estamos plantando discórdia, amanhã colheremos discórdia, se hoje estamos plantando engano, amanhã seremos enganados, se plantamos mentira a amanhã colheremos mentira, se plantamos violência, amanhã colheremos violência.

Por outro lado, se estamos plantando paz, amanhã colheremos paz, se plantamos respeito amanhã seremos respeitados, se honrarmos a Deus, Deus nos honrará.

O mal que plantamos hoje, surgirá amanhã e nos encontraremos com ele, é a lei da semeadura que ordena e disciplina o homem, e nos ensina que existe uma justiça divina que não falha, mas que recompensa a cada um de acordo com suas ações.

É uma lei simples de compreender, mas extremamente difícil de pôr em prática. É inexorável em sua aplicação e todos os seres humanos são afetados por ela.

Portanto, de certa forma e guardadas as devidas proporções, podemos ter um vislumbre do nosso futuro a partir da semente que hoje estamos lançando na terra.

Portanto necessitamos selecionar as nossas sementes com muito cuidado, para que possamos realizar uma colheita de bons frutos amanhã.

E não nos deixemos enganar por que tudo o que semearmos mais cedo ou mais tarde colheremos, seja bom ou seja mal. A decisão é nossa, a responsabilidade é nossa, mas nossas também são as consequências.

Se quisermos ter um futuro sossegado, tranquilo, abençoado, semeemos hoje boas sementes no solo fértil da vida, que com certeza amanhã faremos uma boa colheita, caso contrário tempos difíceis nos aguardam e não poderemos escapar do seu raio de ação e da sua influência.

Carlos Alberto Menezes da Costa

O autor é administrador, teólogo, pós graduado em metodologia do ensino superior e palestrante.