Apresentação de peça de educação sexual em escola do DF gera polêmica

A apresentação da peça O auto da camisinha, da Cia de Teatro Hierofante, em uma escola de Planaltina, provocou críticas nas redes sociais depois de uma internauta postar um vídeo no qual questiona a adequação do espetáculo para o público escolar.

Com a repercussão, o Centro de Ensino Fundamental 3 (CEF 3) da região administrativa disse lamentar o ocorrido, enquanto o grupo teatral afirma que a peça já foi apresentada mais de 640 vezes em vários estados e no exterior, sempre com o objetivo de promover a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis entre adolescentes.

No vídeo, que no fim da tarde desta quinta-feira (10/5) contava com 346 mil visualizações, a internauta critica uma cena da peça, em que um dos atores, vestido de palhaço, traz um pênis inflável gigante amarrado à cintura. “Isso aqui é coisa de estar na escola? Isso é inadmissível”, opina a autora da postagem, que critica ainda a letra de uma das canções do espetáculo, que traria o verso “Pega pega a minha rola”. Nos mais de mil comentários, a maioria das pessoas concorda com a mulher.

Procurada pelo Correio, a direção do CEF 03 de Planaltina disse lamentar o ocorrido. “Manifestamos nosso compromisso com a comunidade escolar no sentido de buscar dirimir quaisquer situações constrangedoras”, afirmou a escola, por meio de nota.

Segundo a instituição, a apresentação foi acertada em parceria com a Secretaria de Saúde e a Secretaria de Cultura do DF. “O tema faz parte do currículo oficial da Secretaria de Educação. A parceria primava pela informação de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis no contexto educacional”, prosseguiu o colégio. “Em nenhum momento o material entregue pela companhia teatral explicitava cenas com teor pornográfico. A escola não teve acesso prévio às imagens, figurinos e trilha sonora utilizadas na apresentação. Ao receber a apresentação, objetivou-se o viés pedagógico do tema, tão importante para os alunos nessa faixa etária”, concluiu.

Linguagem de cordel

O diretor da Cia. Hierofante, Anderson Floriano, diz que a peça existe há 20 anos e que busca incentivar, de forma bem-humorada, o uso do preservativo. “Fizemos mais de 640 apresentações, em sete estados do Brasil e também no exterior. A nossa missão é informar, de uma maneira simples e direta, sobre o uso do preservativo. A peça não tem caráter erótico, e sim, educativo. Queremos que as pessoas, sobretudo os jovens, compreendam a importância do sexo seguro por meio da camisinha”, comentou ao Correio.

Segundo Floriano, a peça foi montada com muito cuidado. “Não pretendemos ser ofensivos, para não provocar mal-estar em quem está assistindo. Fazemos um espetáculo em linguagem de cordel, e abordamos o tema de forma lúdica, para que as pessoas possam descontrair. Por isso, utilizamos o pênis inflável gigante. Para quebrar a resistência das pessoas, e deixar divertido o ensino do uso da camisinha”, ponderou.

A Secretaria de Educação (SEEDF) se pronunciou afirmando que “a intenção pedagógica da direção era enfatizar a importância do uso do preservativo para alunos de 8º e 9º ano do Centro de Ensino Fundamental 3 de Planaltina, em especial por se tratar de uma região com vulnerabilidade social”. No entanto, a SEEDF afirmou que a peça não foi submetida à análise da pasta e classificou como um erro a ação do CEF 3 de permitir, sem avaliação prévia de conteúdo, a apresentação.