Aprendi com o Alfredo Pereira de Campos.
Antes das muitas cervejas de tempos distantes.
Uma colher de sopa de azeite de oliva.
Eu preferia Gallo ou Carbonell.
“Doutor” Alfredo dizia que minimizava a ressaca.
Uma película protetora nas paredes do estômago e do intestino retardava a absorção do álcool.
Na prática, esta demora para sentir o efeito contribuía para o consumo de mais cervejas.
Até hoje, não sei se o Alfredo era comissionado pelas vendas.
Pois é…
A lembrança de tantas décadas chegou depois da leitura de notícias recentes.
As últimas delações premiadas, quando completamente reveladas, implodirão muitas e muitas carreiras políticas.
Figuras que já mereceram alguma confiança ou admiração serão desmascaradas e jogadas na vala comum dos corruptos.
A intoxicação que o país sofreu com esta gente inescrupulosa e irresponsável garantirá uma ressaca de longa duração.
O Brasil foi desidratado por estes criminosos que, alicerçados num discurso sedutor, enganaram aos mais humildes, sofridos e/ou ingênuos.
O estrago está feito e teremos anos de sacrifício para a nação sair desta lambança.
Dores de cabeça…
Pontadas no fígado…
Dado o aperto, terei que trocar de marca.
Dureza…
Sobrou o composto de oliva e soja.
Lata conhecida.
Óleo Maria.

celsoCelso de Almeida Jr
Empresário do setor educacional e especialista em processos gerenciais. Colaborador do CanalR1, mantém o blog Letras do Celso Visite:  www.letrasdocelso.blogspot.com