Homem e mulher foram citados de estarem com adolescente no dia do sumiço, em Araçariguama (SP). Advogado deles nega. Vitória Gabrielly foi encontrada em mata 8 dias após desaparecer ao sair para andar de patins.

O casal apontado pelo suspeito preso de ter levado a menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, dentro de um carro no dia do desaparecimento da vítima, em Araçariguama (SP), esteve no Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba (SP) na tarde desta terça-feira (19) para colher material genético.

Segundo o advogado do casal, Jairo Coneglian, o casal foi ouvido várias vezes pela polícia e não há indícios de envolvimento deles no caso. Por isso, não são considerados suspeitos, segundo o advogado.

Polícia ouve suspeitos do Caso Vitória em Sorocaba
O veículo do casal que teria sido usado para levar a menina passou por perícia e nada foi encontrado.

Na mesma hora, o suspeito que está preso, um servente de pedreiro, foi levado para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) em Sorocaba. A Polícia Civil não informou o motivo dele ter ido à sede da DIG e completou e que não ficará preso na unidade.

A Justiça decretou a prorrogação da prisão do suspeito por mais 30 dias, pedido feito pela polícia. O servente testemunhou que esteve com a adolescente no dia do desaparecimento e, segundo a polícia, deu seis versões diferentes do caso.

Em Araçariguama, a Polícia Civil ouviu nesta terça-feira o homem que achou o corpo da adolescente em uma mata, na zona rural da cidade. A investigação segue sob sigilo. Na semana passada, policiais colheram mais de 50 depoimentos.

Vitória Gabrielly foi achada morta após oito dias desaparecida. Segundo o boletim de ocorrência, registrado pela família no dia 9 de junho, a garota sumiu ao sair para andar de patins, por volta de 13h30, perto de um ginásio que fica no bairro onde mora, na Vila Nova.

Os cadarços dos patins e as roupas usadas pela menina Vitória são analisados no Instituto de Criminalística, em São Paulo.

Investigação

Na segunda-feira (18), a Polícia Civil começou a analisar as imagens de 10 câmeras de segurança de casas e comércios da cidade, que podem ajudar a refazer o percurso da garota entre o ginásio de esporte e o local onde o corpo foi encontrado, no bairro Caxambu.

As buscas por Vitória duraram uma semana e mobilizaram moradores de Araçariguama e cidades vizinhas. Equipes das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e Comando de Operações Especiais (COE) percorreram áreas de mata até a Represa de Itupararanga.

Também foram feitas buscas em São Roque e em Mairinque, nos locais apontados pelo suspeito por onde a menina poderia ter passado.

Vitória Gabrielly sumiu no dia 8 de junho ao sair para andar de patins perto do ginásio de esportes de Araçariguama, cidade onde morava.

A garota foi encontrada morta por um catador de latinha em uma mata às margens de uma estrada de terra, na zona rural da cidade.

Uma câmera de segurança registrou a menina andando de patins no dia em que desapareceu.

Fonte: G1