O trecho da BR-319 após a ponte do rio Madeira sentido Porto Velho – Humaitá está recebendo reforço de aterramento por pedras para amenizar o transtorno causado pelo avanço da água do rio Madeira que está há uma semana acima da sua cota de transbordamento.

Moradores da região que utilizam rotineiramente esse trecho realizaram uma manifestação e bloquearam a pista nesta última semana exigindo alguma ação do poder público para amenizar o problema.

De acordo com o agente da Polícia Rodoviária Federal, Max Cabral, uma equipe do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte- DNIT/RO, foi destacada até o local e apenas não chegou antes em decorrência de estar atendendo outro ponto afetado pela cheia em estado mais crítico, o acesso da BR-425.

Esse serviço vai levantar a pista e esperamos que tenha um caráter mais duradouro para que em breve não volte a causar transtornos à comunidade”, afirmou o policial rodoviário Max Cabral.

De acordo com a Marinha do Brasil, através de dados coletados pelo Sistema de Proteção da Amazônia – SIPAM, o rio Madeira registrou em seu nível na manhã deste sábado a medição de 17,22 metros.

O rio Madeira apontou um recuo de seis centímetros nas últimas 24 horas, ao contrário das expectativas meteorológicas terem indicados para um fim de semana chuvoso.