Reduzir gastos com cargos comissionados, conservando funções estritamente necessárias; valorizar o mérito dos servidores e nomear pessoas técnicas e capacitadas para as funções mais essenciais; destinar verbas de publicidade institucional para campanhas educativas e essenciais ao bom funcionamento da máquina publica; racionalizar as estruturas governamentais, primando pela eficiência e economicidade de processos; combater a corrupção em todas as suas formas, em cooperação e colaboração com os demais Poderes, além de trabalhar para a solução de problemas, como o do extinto Banco do Estado de Rondônia (Beron), Companhia de Águas e Esgotos (Caerd), precatórios e previdência. Foram os compromissos assumidos pelo governador eleito, Coronel Marcos Rocha, em discurso após ser diplomado no início da noite dessa terça-feira (18), em solenidade coordenada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO), no auditório da Unopar, em Porto Velho. A posse acontecerá no Teatro Palácio das Artes, no dia 1º de janeiro de 2019, sob o comando da Assembleia Legislativa.

Com a presença de desembargadores e juízes que compõem a Corte Eleitoral, presidida pelo desembargador Sansão Saldanha; do governador Daniel Pereira e a primeira-dama Ester Lacerda; do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Walter Waltenberg, entre outras autoridades civis e militares, além de familiares e convidados dos eleitos, também foram diplomados o vice-governador José Altino Salazar Martins, o Zé Jodan; 23 dos 24 deputados estaduais (condenado em primeiro grau a 17 anos de prisão, a ser cumpridos em regime fechado, Jair Montes não pode comparecer, mas seu advogado informou que receberá o diploma nesta quarta-feira), 12 primeiros suplentes, oito deputados federais (os quatro suplentes não compareceram) e os dois senadores, Marcos Rogério e Confúcio Moura e seus respectivos suplentes. Os diplomados para a Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado tomarão posse em 1º de fevereiro de 2019.

Antes da sessão solene, o desembargador Sansão Saldanha explicou que com a diplomação dos eleitos o TRE-RO concluiu seus serviços, fechando mais um ciclo, quando foi dada oportunidade a todos de escolherem seus representantes nas eleições realizadas em 7 de outubro (primeiro turno) e dia 28 (segundo turno).

Traçando um paralelo entre as expectativas atuais dos rondonienses com o discurso sobre deveres do cidadão americano, proferido pelo 26º presidente dos Estado Unidos, Theodore Roosevelt Jr, o governador diplomado Marcos Rocha anunciou um novo tempo para Rondônia, se comprometendo em apresentar a real situação e buscar junto aos rondonienses e rondonianos a solução, de forma transparente, para os problemas que desafiam o estado, sem demagogia ou discursos retóricos, mas com trabalho e método, apoiado nas premissas eficiência, transparência e combate à corrupção. Embora reconheça Rondônia como um estado forte, com grande potencial econômico para ser um dos maiores do País, ele afirmou ter conhecimento da situação fiscal delicada, com capacidade de investimento insignificante, o que exige esforço conjunto de políticos, servidores e demais cidadãos.

“Há muito o que fazer. O próprio governador Daniel Pereira costuma falar isso”, citou ao falar do trabalho de acompanhamento da gestão estadual que vem sendo realizado durante o período de transição, cujo diagnóstico, segundo Rocha, deve ser dado em 100 dias após a posse.

Ao pedir a contribuição da população para combater a corrupção, Marcos Rocha reforçou que governará para todos, junto aos demais diplomados, “mas só conseguiremos produzir bons resultados se todos os senhores se dedicarem fazendo o melhor em todos os aspectos das vossas vidas… Se não for possível governar sem ferir interesses, peço que acreditem no nosso governo, acreditem em nosso estado e na força transformadora de nossas ações, mantendo os corações serenos e a fé no amanhã, porque a partir de 1º de janeiro de 2019 o barulho provavelmente será grande, afinal, os interesses que serão contrariados não são como os cordeiros designados, que sofrem e morrem sem protesto. Eles falarão alto e usarão provavelmente sua força econômica para deslegitimar nossas ações e escolhas”, pontuou.

Por fim, o governador diplomado disse esperar dos deputados estaduais, federais e senadores o comprometimento com o estado; do Tribunal de Contas, a fiscalização eficiente e responsável; do Judiciário um fiel aliado na balança; dos servidores, trabalho comprometido com a população; uma imprensa livre, responsável e parceira para denunciar as mazelas, empenhada com a informação, bem-estar social e o progresso; e de cada cidadão ele conta com a força necessária para trabalhar a realidade, conforme as peculiaridades. “Trabalharei com a verdade acima de tudo, certo que Deus está conosco e acima de todos nós”, ressaltou, agradecendo em seguida o apoio da esposa Luana; dos filhos, irmãos, bem como pais e avós falecidos; e apoiadores partidários, entre eles o presidente da República diplomado, Jair Bolsonaro.

Questionado sobre a nomeação de secretários, adjuntos e demais cargos administrativos, Marcos Rocha disse que isso pode acontecer até no dia da posse. A intenção é que as pessoas escolhidas consigam trabalhar conforme a proposta de governo para que não haja necessidade de substituições.

Ao encerrar o ato solene, o desembargador Sansão Saldanha alertou os diplomados para a nova sociedade, que com os avanços tecnológicos atua como uma corte de justiça, “que não para. Está sempre atenta”.

Fonte: Secom