O corpo de um homem, de 47 anos, foi encontrado nesta semana em uma propriedade rural de Castanheiras (RO), município a 363 quilômetros de Porto Velho. O corpo estava carbonizado e parcialmente irreconhecível.

A vítima é moradora da cidade de Ministro Andreazza (RO). Um dia antes do homem ser encontrado morto, o irmão, de 42 anos, registrou um boletim de ocorrência informando o desaparecimento do parente. Foi esse mesmo irmão quem reconheceu o corpo, baseado em uma cicatriz de picada de arraia no pé da vítima. A motocicleta do homem ainda não foi encontrada.

No início desta semana, o irmão da vítima procurou a Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp) de Ministro Andreazza, onde registrou uma ocorrência de pessoa desaparecida ou sequestro.

O rapaz contou que o irmão havia saído de moto na tarde de domingo (14) para comprar gasolina e, durante o percurso da casa onde moram na área rural até a cidade, havia desaparecido.

Na beira da RO-133, ele encontrou o galão que o irmão havia levado para buscar o combustível e vários rastros de moto e carro próximos ao galão. A motocicleta que a vítima estava também não havia sido achada.

Corpo achado

No dia seguinte da denúncia de desaparecimento, os policiais de Rolim de Moura (RO) receberam a informação de um corpo próximo a RO-479, na linha 184, em Castanheiras. Ao chegarem no local, os policiais foram recebidos pelo proprietário do sítio onde o corpo estava.

O homem disse aos policiais que quando chegou na porteira da propriedade, percebeu marcas de pneu de carro e um arrastado no chão que seguia em direção a uma mata. Seguindo o rastro, encontrou um corpo desovado.

Durante análise, os policiais constataram que o corpo era do sexo masculino e estava carbonizado. Perceberam ainda que o homem foi arrastado em cima de uma lona plástica preta, por cerca de 60 metros da rodovia, até uma mata, deixando marcas de sangue no percurso.

O corpo foi incendiado com parte da lona plástica e algumas peças de roupas, o que deixou a vítima parcialmente irreconhecível.

A perícia criminal de Ji-Paraná (RO) esteve no local realizando os trabalhos necessários, além da polícia civil de Ministro Andreazza junto com o irmão da vítima.

Ao verificar o corpo, o homem reconheceu como sendo do irmão dele, isso por conta de uma cicatriz de picada de arraia no pé e pelas características das vestes. O caso é investigado pela Polícia Civil.

FONTE: G1