Corpo de PM rondoniense morto no acre é transladado para Vilhena

PMO rondoniense estava de serviço quando recebeu um tiro disparado por um elemento que reagiu a uma abordagem. A bala atingiu o queixo do policial e se alojou na cabeça.

O corpo do cabo da Polícia Militar do Acre (PMAC), Alexandro Aparecido dos Santos, 36 anos, baleado e morto durante uma abordagem policial foi transladado para Porto Velho (RO) e seguiu nessa terça-feira (16) para Vilhena. Alexandro nasceu em Rondônia e morava no Acre desde novembro de 2009 juntamente com sua família. Além da esposa, ele deixa três filhos.

O rondoniense estava de serviço quando recebeu um tiro disparado por um elemento que reagiu a uma abordagem. A bala atingiu o queixo do policial e se alojou na cabeça. O fato aconteceu no bairro Novo Horizonte, em Rio Branco. Ele chegou a ser levado para o Pronto Socorro pelos próprios colegas, porém, não resistiu e morreu. O autor do disparo e mais um foram conduzidos à Delegacia de Flagrantes.

Ao reconhecer o corpo do marido no Instituto Médico Legal (IML) a mulher do cabo, Nara Aline Santos, de 25 anos, passou mal. O governo do Acre emitiu nota sobre o caso. Nela, disseram que o militar estava no exercício da função, representando a lei, em defesa da população acreana.

“O cabo Alexandro, era um policial padrão, servia a PM há quase sete anos e não possuía sequer um único procedimento na Corregedoria. A sociedade acreana perde um defensor da ordem pública que, na condição de policial militar, lutou até o fim contra a criminalidade”, diz a nota emitida e assinada pelo governo do Acre.
O comando da PM também manifestou sobre o caso. “Nós, militares, mesmo tendo feito o juramento de proteger a sociedade, inclusive com risco de nossa própria vida, sendo ainda sabedores de todos os perigos inerentes à profissão em si, sempre vislumbramos cumprir nossas missões e retornar com saúde para o seio de nossa família. Mas, infelizmente, perdemos um excelente policial militar”, lamenta o capitão Felipe Russo.

Nessa terça-feira, o corpo estava sendo velado na Capela São João Batista e foi acompanhado com honras militares até o Aeroporto Plácido de Castro. Um cortejo fúnebre levou o corpo do militar. Centenas de colegas de farda do 3° Batalhão da PMAC e familiares de Alexandro participaram da solenidade fúnebre. O clima de comoção era visível.

NEWSRONDONIA