Defesa de Lula apresenta mais recibos de pagamento de aluguéis de imóvel investigado na Lava Jato

Ex-presidente é acusado de receber apartamento como propina da Odebrecht. Advogados disseram que possuem os recibos originais e pediram uma audiência com o juiz Sérgio Moro para entregá-los.

© Reuters

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anexaram no sistema da Justiça Federal nesta quarta-feira (11) seis novos recibos de 2011, referentes a pagamentos do aluguel do apartamento vizinho ao de Lula em São Bernardo do Campo (SP). O imóvel é alvo de um processo relacionado à Operação Lava Jato.

A defesa do ex-presidente afirmou também que possui os originais dos recibos e pediu ao juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, uma audiência formal para que os documentos sejam entregues.

A propriedade do apartamento faz parte da denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF), que acusa o político de receber propina da Odebrecht em decorrência de contratos entre a empresa e a Petrobras.

De acordo com a denúncia, o imóvel foi comprado por Glaucos da Costamarques, a pedido do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula. Costamarques e Bumlai também são investigados na operação.

Um dos novos recibos apresentados nesta quarta-feira faz referência a aluguel de março de 2011 (Foto: Reprodução)Um dos novos recibos apresentados nesta quarta-feira faz referência a aluguel de março de 2011 (Foto: Reprodução)
Recibos sob investigação
Para contestar a versão, a defesa de Lula já havia apresentado 26 recibos, para comprovar que a família de Lula paga os aluguéis regularmente. As datas são de 2011 a 2015. Alguns possuem erros de grafia semelhantes, além de datas que não constam no calendário.
O MPF, por sua vez, contesta a originalidade dos documentos. Os procuradores abriram um incidente de falsidade criminal, procedimento para investigar a origem de provas anexadas a um processo. Para eles, os recibos são “ideologicamente falsos”.
Ao pedir uma audiência com Moro para a entrega dos originais destes novos recibos, os advogados de Lula pediram a presença de um perito ou de serventuário habilitado que possa constatar o estado do material.
Os recibos anexados são de março a agosto de 2011 no valor de R$ 3,5 mil cada. A defesa também protocolou outros documentos referentes à locação do imóvel como uma carta de Glaucos Costamarques a Dona Marisa, solicitando que o pagamento fosse efetuado em um banco diferente do que via ocorrendo.
Defesa de Lula apresenta carta de Glaucos Costamarques para a Dona Marisa (Foto: Reprodução)