Primeiro de dezembro é o dia mundial de combate a Aids. A data foi escolhida durante a Assembleia Mundial da Saúde, em 1988. Desde então, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fixou as ações de prevenção ao HIV e diversas ações são realizadas com foco na conscientização populacional.

Em Ariquemes, a Secretaria Municipal de Saúde (SEMSAU) deu início às atividades pelo Centro administrativo Dr. Carpintero. Na manhã da última quinta-feira (06), disponibilizou palestra, testes rápidos de HIV, Hepatites B e C, sífilis e glicemia, além de consultas e aferições de pressão a todos os servidores e usuários dos serviços do Poder executivo Municipal, que passaram pela sede.

HIV EM ARIQUEMES

De acordo com a Diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Ândrea Gaspar, apesar do controle da doença ter reduzido consideravelmente o índice de mortes, o número de casos ainda é crescente. Em 2017 foram registradas 63 novos casos. Já em 2018, até 05 de dezembro, foram detectadas 79 ocorrências. “A maior incidência é entre jovens entre 18 e 24 anos, que possuem maior resistência na utilização dos preservativos, além de manterem diversidade de parcerias sexuais.

PREVENÇÃO E TRATAMENTO EM ARIQUEMES

Todas as Unidades de Saúde do município estão aptas a realizarem os testes rápidos de HIV . É um procedimento simples, que compreende uma pequena perfuração no dedo para coletar amostra do sangue. Em 15 minutos o resultado fica pronto. Para ter acesso, basta o usuário apresentar os documentos pessoais e cartão do SUS.

Ariquemes ainda conta com o Serviço de Assistência Especializada (SAE), que faz o acompanhamento e tratamento daqueles que tiveram contato com o vírus HIV. Além disso, para janeiro de 2019, há previsão de implementação da Profilaxia Pré-Exposição-PrEP. Também feita através de medicação específica, é voltada para parceiros sexuais soro discordantes (quando um é portador e o outro não) impossibilitando o contágio. “ O que parece uma política reversa, na verdade proporcionará aos casais sorodiscordantes, a possibilidade de ter filhos, uma vez que a medicação inibe o contágio entre os parceiros.” Explicou Ândrea Gaspar.

O público alvo ainda se estende a população entre 18 e 24 anos, com diversos parceiros sexuais, os privados de liberdade, profissionais do sexo e usuários de drogas.


Fonte: Semsau