Depois de uma série de registros de atos de violência pelo país, cometidos por seus apoiadores, Jair Bolsonaro (PSL) divulgou mensagem no Twitter afirmando que ‘dispensa voto de quem pratica violência’.

Esta foi a primeira vez que Bolsonaro adotou postura mais contundente contra os casos de violência que foram registrados no país desde o primeiro turno das eleições.

Na noite de terça-feira (9), ele se mostrou irritado ao ser questionado sobre o tema por jornalistas. Antes de responder, indagou ao repórter se a pergunta não deveria ser invertida, e lembrou que ele foi alvo de uma facada. Na sequência, disse lamentar os atos de violência, mas afirmou que não tinha como controlar seus apoiadores.

Na madrugada de segunda-feira (8), o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, 63, conhecido como Moa do Katendê, foi morto a facadas após uma discussão política em Salvador (BA).

O capoeirista defendeu o voto em Fernando Haddad (PT) enquanto o agressor, aos gritos, defendia o apoio a Bolsonaro.

Outro caso que ganhou repercussão nacional foi de uma mulher que teve a barriga marcada por uma suástica, desenhada por um canivete. O caso ocorreu em Porto Alegre (RS) e, segundo vítima, ela foi agredida por três homens na rua por trajar uma camiseta com a mensagem de #Elenão, marca de protestos contra Bolsonaro.

Fonte: Noticias ao minuto