DPE cria aplicativo para facilitar o atendimento à população em RO

Sem Título-1333Segundo a DPE-RO, 300 pessoas já baixaram o sistema ‘DPE-RO Digital’.
Aplicativo traz lista de documentos necessários para dar entrada em processos.

A Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE-RO) criou o aplicativo ‘DPE-RO Digital’ para facilitar o atendimento do órgão à população através de dispositivos móveis. O sistema foi lançado em julho deste ano e até a última segunda-feira (1º) 300 pessoas de todo o estado já havia baixado o programa.

De acordo com o subdefensor da DPE-RO, Antônio Fontoura Coimbra, o aplicativo traz a lista de documentos necessários para abertura de processos, que pode ser acessada pela população sem sair de casa, facilitando o atendimento aos usuários.

Segundo Coimbra, o serviço oferecido pelo aplicativo pode aproximar ainda mais a comuniade dos defensores. “Antes a pessoa precisava ir até a Defensoria para ver os documentos necessários para dar entrada ao processo. Com o aplicativo, em casa mesmo já se pode ver a papelada necessária”, disse.

Outro serviço oferecido é o contato dos plantões de todo o estado, caso seja preciso acionar algum servidor, a pessoa pode consultar o sistema sem se deslocar até o órgão, conforme explica Coimbra.

O subdefensor informou ainda que até o fim do ano, através do aplicativo, a população poderá visualizar os agendamentos de audiências. “A pessoa poderá ver pelo celular o dia e horário que será atendido por um defensor sem ter que vir à Defensoria, o que já facilita o atendimento fazendo com que ninguém perca tempo”, informou.

TJ-RO
Outra iniciativa que obtém proveito da tecnologia é a criação do aplicativo ‘PJe Mobile’ pelo Tribunal de Justiça de Rondônia, Pernambuco e Paraíba para facilitar o acesso dos operadores de direito como, advogados, juízes e magistrados ao site de Processo Judicial Eletrônico (PJe), através de dispositivos móveis.

De acordo com o analista de sistema do TJ-RO, Pablo Filetti, que auxiliou na construção do sistema, o aplicativo poderá ser utilizado para baixar processos em dispositivos móveis para pré-assinar minutas e unificar assinaturas.

“Os juízes e advogados poderão baixar os processos no celular sem precisar ter acesso direto a um computador, eles podem utilizar tablets também. Os magistrados poderão pré-assinar minutas e quando logarem em um computador podem concluir o processo. Os operadores também podem unificar assinaturas sem precisar fazer uma para cada instituição que utiliza o PJe”, explicou Filetti.

Segundo Filetti, o aplicativo ‘PJe Mobile’ começou a ser idealizado em dezembro de 2015 e confeccionado entre janeiro a abril deste ano. O sistema ainda não está liberado para uso, mas já teve o projeto premiado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na 1ª Maratona do PJe.
“Estávamos [profissionais dos tribunais dos três estados] em Brasília, quando nos reunimos e tivemos a ideia de começar o aplicativo para ser apresentado na 1ª Maratona do PJe. Voltamos cada um para seu estado e o trabalho começou a ser feito de maneira remota. Quando entregamos o projeto, fomos premiados em 3° lugar pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)”, disse Filetti.

Filetti afirmou que até o fim do ano o aplicativo será implantado. “Ajustes finais estão sendo realizados para colocá-lo em ação, mas não depende mais de nós criadores”, explicou.

Hosana Morais
Do G1 RO