Eleições 2016 e a difícil escolha na hora do voto – por Zamyrton Rocha

Estamos vivendo mais um momento político no Brasil. Com a aproximação das eleições municipais, começa a corrida dos pré-candidatos aos tão cobiçados cargos eletivos para prefeitos e vereadores. As eleições desse ano serão atípicas. Diferente de todas as outras já havidas. Nessas eleições os candidatos, depois de terem seus nomes aprovados nas convenções partidárias, terão apenas 45 dias para correrem à busca do instrumento mais precioso no processo eleitoral: o voto. O que não será fácil, pedir e conquistá-lo.

Diante do cenário político vivido no Brasil com o envolvimento de grande parte dos políticos detentores de mandatos nas mais diferentes esferas dos poderes constituídos, isso certamente será um fator que dificultará e muito angariação de votos para todos os candidatos, especialmente para aqueles que desejam buscar suas reeleições.

Os fatos que maculam a imagem da política e do político no Brasil, veiculados diariamente nos meios de comunicação, traz ao povo um sentimento de repulsa, de revolta e até de vergonha. Mas, o povo tem reagido, por meio de movimentos organizados demonstrando não aceitarem mais políticos desonestos, as recentes manifestações públicas, nos fazem crer, inclusive, que o cidadão não permitirá a entrada de figurinhas repetidas, ou de pessoas que tenham um passado recheado de vícios nocivos à sociedade. O povo está acordando, e não admite mais que a sujeira fique escondida debaixo do tapete.

Os últimos movimentos sociais organizados exigiram das instituições do estado um posicionamento sério e providências no sentido de punirem exemplarmente qualquer cidadão detentor de mandato ou de cargo público que estivesse envolvido com o mundo do crime de corrupção ou qualquer outro ato ilícito, que cause prejuízos ao erário.

Todavia, temos que aguardar para ver, o quanto o eleitor pode ter amadurecido e, somente com o resultado dessas novas eleições é que haveremos de saber e fazer um parâmetro da mudança na consciência dos eleitores. Será que o povo está preparado para fazer escolha? Será também, que não haverá fralde no processo eleitoral? Se houver, de nada adianta os brasileiros irem às urnas escolherem bem seus representantes, e o resultado ser diferente, haja vista, que muitos duvidam da lisura no processo eleitoral no Brasil.

As eleições para vereadores e prefeitos, é uma eleição muito difícil para os candidatos, porém, de certa forma mais fácil para os eleitores. Um vez que as escolhas ocorrerão no quintal de casa, ou seja, no município onde moramos, assim, nos dando uma chance maior para votarmos no mínimo em quem conhecemos, ou pelo menos já ouvimos falar. Não existe candidato com uma marca real e verdadeira expressando sua honestidade, mas todo ser humano tem uma sensibilidade psicológica para avaliar quem são as pessoas que lhe pedirão o voto. E aqui fica uma dica: analise com mais prudência, se o candidato que você pretende votar tem uma vida limpa, pesquise o passado dele, procure informações para não correr o risco de está contribuindo para ocupar um cargo político eleitoral, uma pessoa que sequer tem o compromisso com a própria família. Imaginem com o povo?

Tenho Dito!

Zamyrton Rocha

O autor é Jornalista, escritor, bacharel em Direito, palestrante e consultor político. Possui experiência de mais de 30 anos em campanhas eleitorais, na coordenação e elaboração de planejamento, estratégias e mobilização.