FOTO: Ilustrativa

Uma estudante de 31 anos registrou uma denúncia de assédio sexual contra um professor, de 37. Segundo ela, a situação ocorreu em sala de aula, enquanto realizava uma prova para conclusão do ensino médio, em uma Escola de Ensino para Jovens e Adultos (EJA), em Lucas do Rio Verde (330 km de Cuiabá).

Conforme o boletim de ocorrência, a mulher afirmou que, na primeira tentativa de concluir os estudos, reprovou de quatro matérias. Então, o professor a perguntou se ela gostaria de repetir a prova e ela aceitou.

O docente a teria levado para uma sala separada, onde deu início ao assédio. A princípio, segundo o relato da vítima, o professor a elogiou dizendo: “você é muito bonita”, narra no boletim de ocorrência.

Em seguida, ele teria oferecido um chocolate para a estudante, abrindo uma gaveta e pegando dois bombons. Depois, o professor teria, segundo a vítima, perguntado diretamente se teria uma chance com ela e, nesse momento, tentado beijá-la na boca.

“Nós dois somos maiores, ninguém precisa ficar sabendo”, o professor teria falado para a aluna.

Nervosa, a estudante teria tentado entrar em contato com o marido, momento que o suspeito se aproximou, viu uma foto no aparelho celular que ela segurava e perguntou: “você tem mais fotos para eu ver? Imagens do corpo inteiro?”, diz trecho do boletim.

A estudante negou o pedido do professor, que logo teria perguntado se ela gostaria de ver uma foto dele nu, que ele teria em seu próprio celular. A mulher, então, levantou e disse que havia terminado a prova.

Segundo a vítima, o suspeito, colocando as mãos nas partes íntimas, falou para a estudante esperar mais cinco minutos, alegando que “o pessoal” iria perceber que ele a estava “ajudando”.

Em seguida, ele ainda teria levantado e perguntado para a vítima se ela queria ver “alguma coisa”, colocando a mão no botão da calça como se fosse abrir. A estudante teria respondido que não, ao sair da sala correndo.

Logo após a denúncia, uma equipe da Polícia Judiciária Civil foi até a instituição de ensino, por volta das 21h15 de segunda-feira (3), mas o local estava fechado.

Na manhã desta terça-feira (4), por volta das 07h40, os investigadores estiveram novamente na escola e encontraram o suspeito, que foi encaminhado para a delegacia, acusado de assédio sexual.

 

 

FONTE: O livre