Um jovem de 26 anos aplicou um golpe e saiu sem pagar R$ 3 mil em restaurante de luxo em Santos, no litoral de São Paulo, após consumir no lugar por 13 horas. O caso aconteceu no bairro Ponta da Praia, no início de fevereiro, e o homem já foi reconhecido por outros três donos de estabelecimentos da região, que registraram boletim de ocorrência.

Em entrevista ao G1, a proprietária do restaurante, Milena da Silva Gonçalves Bento, de 34 anos, conta que o homem chegou por volta de 13h alegando que era jogador de futebol em outro país. “Ele pediu bebidas importadas, tudo do bom e do melhor, e ainda pegou o celular de um garçom emprestado para contratar três garotas de programa”, relembra.

De acordo com a proprietária, o homem garantiu que pagaria bebida para outras pessoas que estavam no local, além das três mulheres, e envolveu até um garçom do restaurante. Depois de um tempo consumindo, ele chamou a polícia alegando que a carteira dele tinha sumido dentro do estabelecimento. “Ele chamou os policiais, causou uma confusão e tentou se colocar como vítima por saber que não tinha como pagar”, comenta.

Milena ainda explica que ele saiu do estabelecimento por volta de 2h e foi direto para a delegacia junto com outro homem e as três garotas de programa, que reclamaram que ele não tinha dinheiro para pagá-las. “Precisei correr para a delegacia, mas apesar de registrar a ocorrência e dele ter passado a noite lá, acabou sendo liberado e aplicou o golpe em outros lugares”, reclama.

Apesar de encaminhar o homem até a delegacia, a proprietária teve o prejuízo de R$ 3 mil. O boletim de ocorrência foi registrado no 7º DP de Santos.

Outros golpes

O homem também foi identificado em outros três estabelecimentos da região. O proprietário de um bar que fica em Praia Grande, Hugo Alexandre Ferreira, de 38 anos, conta que o suspeito agiu de forma parecida, mas no dia levou o motorista de aplicativo como companhia.

Na madrugada da última segunda-feira (24), ele entrou no local junto com o motorista de aplicativo e consumiu o equivalente a R$ 1 mil. No bar, ele ofereceu bebida para mulheres e garantiu que pagaria. De acordo com o proprietário, o homem reclamou do tratamento no restaurante como uma forma de fugir da necessidade de pagamento.

“Ele afirmou que não pagaria porque tinha sido destratado, mas na verdade ele não tinha a intenção de pagar, já que não tinha cartões nem dinheiro. Além disso, ele não estava com documentos”, comenta Hugo. O estelionatário, que já tinha aplicado o golpe em bares de Santos, pediu ao motorista para levá-lo a um bar em outra cidade e prometeu que pagaria o consumo e R$ 400 pela corrida, valor que não entregou ao homem.

“É um padrão. Ele chama a polícia, faz confusão e nem tem como pagar o que consome”. Ele relata que foi até a delegacia de Praia Grande, onde registrou boletim de ocorrência, mas o homem também acabou sendo solto.

Fonte: G1 / Santos