12

A polícia prendeu, nesta terça-feira (4), um homem acusado de estuprar a própria filha, de 11 anos, no bairro de Jardim Paulista, em Paulista, no Grande Recife (RMR).

De acordo com o delegado Antônio de Campos, titular da Delegacia de Crimes contra a Criança e o Adolescente e Atos Infracionais (DPCCAI) da cidade, o crime ocorreu quando a menina dormia na casa do pai, que é separado da mãe da vítima.

Segundo informações, o suspeito foi autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável e encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro para prestar exames, e seguiu para audiência de custódia.

“O menino era quem ia para a casa do pai, mas a filha acabou indo também. Como a casa da mãe e do pai são perto uma da outra, eles acabaram dormindo lá”, explicou o delegado.

Campos informou que o homem dormia com os dois filhos em uma cama de casal.

“No meio da madrugada, ela notou alguém mudando ela de lugar, mas estava muito sonolenta e adormeceu de novo. Depois, quando acordou, viu que estava com o vestido levantado e o short arriado enquanto o pai estava encostado nela por trás segurando o cabelo”, relatou. “Depois que terminou, o pai foi ao banheiro e ela ia sair dali de madrugada mesmo, mas a porta do quarto estava trancada.

Ela voltou pra cama e conseguiu adormecer muito tempo depois. De manhã, o menino acordou e foi ao banheiro, o pai disse a ela para não contar à mãe, porque, em caso de denúncia, ele não ia dar o celular pra ela nem ia fazer a festa de aniversário dela”, asseverou o investigador.

O delegado informou que ao voltar para casa, a menina se comportou de forma diferente, o que chamou a atenção da mãe dela.

“A menina disse, a mãe não pensou duas vezes e a trouxe para a delegacia. Nós ouvimos a história, o psicólogo fez a ouvida da vítima. Eu disse à mãe que, quando soubesse onde o suspeito estava, atraísse ele para algum lugar. Ela marcou com ele numa praça e mostrou a foto do Facebook dele, e os policiais o identificaram”, recordou o investigador.

Após ser capturado, o suspeito alegou que estava embriagado e não se lembrava do ocorrido, informou o delegado.

“Ele disse que estava com problemas pessoais e, como a mãe tinha dito que não mandaria os filhos lá se ele bebesse, bebia uma lata de cachaça escondido e os filhos não perceberam”, revelou.