Um vídeo registrou o momento em que um homem jogou um objeto com fogo e causou uma explosão em uma casa onde vivem 31 venezuelanos, no bairro Mecejana, zona Oeste de Boa Vista. Na ocasião, uma mulher teve queimaduras de segundo grau no rosto, pescoço e costas.

O ataque ocorreu nessa segunda (5) e é investigado pela Delegacia Geral de Homicídios (DGH). O delegado do caso, Cristiano Camapum, acredita que o incêndio tenha sido causado por gasolina.

Nas imagens, é possível ver o homem em frente ao imóvel, por volta das 4h08 da madrugada. A ação do suspeito dura menos de um minuto.

Ele acende um objeto e logo depois joga por cima do muro, momento em que há uma explosão, e sai correndo em seguida. É possivel ver também várias pessoas do lado de dentro do muro.

O vídeo mostra ainda uma viatura da Polícia Militar chegando ao local 20 minutos após o ocorrido na tentativa de deter o suspeito.

As imagens foram registradas pelo sistema de segunça de uma residência próxima à moradia dos venezuelanos e foram cedidas à Rede Amazônica Roraima.

Mulher teve queimaduras de primeiro e segundo grau no pescoço, costas e rosto (Foto: Emily Costa/G1 RR)

A investigação do incêndio na casa onde vivem os 31 venezuelanos foi remetida à DGH porque se suspeita que o crime foi uma tentativa de homicídio. Não está descartada a hipótese de que o ataque tenha sido motivado por xenofobia.

“Estamos apurando a motivação do crime e em diligências para localizar o suspeito que não sabemos se é brasileiro ou venezuelano”, disse o delegado, acrescentando que um inquérito foi aberto. Até o momento, ninguém foi preso.

A Polícia Civil investiga também um outro caso em que uma criança de 3 anos e o pai venezuelanos ficaram feridos após a casa em que eles moram pegar fogo na madrugada desta quinta (8). A família das vítimas mora no local com 13 imigrantes e suspeita que o incêndio tenha sido criminoso.

Rotina dos venezuelanos em Roraima

A residência atacada na segunda-feira já foi mostrada em reportagem especial do G1 sobre os impactos da imigração venezuelana na cidade de Boa Vista.

Na casa não há móveis e nem geladeira. Apenas colchões espalhados nos quartos para todos os 31 imigrantes que vivem no local.

Prefeitura e governo de Roraima tentam auxílio do governo federal para lidar com a imigração que, só em Boa Vista, já representa mais de 10% da população. Segundo a prefeita da cidade, Teresa Surita (PMDB), 40 mil venezuelanos estão na cidade.

Fotos mostram abrigos, praças ocupadas por venezuelanos em Boa Vista e o dia dia dos imigrantes que fogem da fome, falta de medicamentos e violência no país vizinho.