De acordo com uma queixa criminal, a polícia respondeu a uma unidade inferior em um prédio de apartamentos de quatro unidades, onde encontraram a vítima de 62 anos deitada imóvel em sua cadeira de rodas, coberta de sangue, que “parecia estar parcialmente estripada”.

Enquanto isso, a queixa dizia que Afolayan descia as escadas “segurando uma camiseta branca coberta de sangue”. Ele foi preso.

Uma autópsia revelou que ela sofreu 116 facadas: 48 no peito, 50 no abdômen e 18 nos braços, ombro e mãos.

Uma faca ensanguentada foi encontrada no chão da cozinha, disse a queixa. A lâmina de 12 centímetros foi dobrada. Outra faca ensanguentada com a lâmina faltando foi encontrada, e uma terceira foi encontrada na entrada da casa ao lado.

A denúncia disse que a polícia não conseguiu identificar o Afolayan porque “ele não era comunicativo”, a não ser “proferir declarações como” Jesus me perdoa”.

Fonte: Mceara