Os abolicionistas eram contrários ao regime de escravidão que imperava de forma marcante no passado. A escravidão em si é desumana e rouba a dignidade do indivíduo. Escravo é aquele que está privado de sua liberdade, que está submetido à vontade de um senhor, a quem pertence como propriedade.

Jesus nunca concordou com essa prática nefasta, Ele é o maior libertador, o maior abolicionista que já existiu em toda a história da humanidade.

Atualmente existem outras formas de escravidão que igualmente privam milhares de pessoas da liberdade e as sujeitam a uma vida de dores e sofrimento. Estamos falando da escravidão do alcoolismo, das drogas, dos jogos de azar, dentre outras formas de escravagismo.

Esse tipo de escravidão é extremamente degradante e afeta a família da pessoa envolvida. Somente quem viveu ou vive a tragédia de ter na sua família alguém escravizado pelas drogas,  conhece a dimensão da dor e sofrimento causado por elas.

Objetos trancados, polícia na porta de casa, crises de violência, custos com advogados, e uma sensação constante de impotência, em ajudar uma pessoa querida que caminha, para a destruição lenta e inexorável.

O álcool também escraviza e causa danos irreparáveis, compromete a renda familiar, promove a violência doméstica, altera o humor dos envolvidos no processo, é traumático, é fator de separação conjugal e destrói os laços de família.

É claro que existem outras formas de escravidão como os jogos de azar, todas elas sem exceção, são altamente destrutivas, são devastadoras para os envolvidos, e trágico para as famílias.

Os custos com clínicas de reabilitação e outros tratamentos são altíssimos, e em grande parte das vezes tais tratamentos não surtem os efeitos desejados.

No Evangelho escrito por João, no capítulo 8 e no versículo 32, está escrito: E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.

A verdade a que João se refere é o próprio Senhor Jesus.  Jesus mesmo  afirmou, ser o caminho a verdade e a vida.

Jesus ao longo dos séculos tem libertado da escravidão milhares de pessoas, não é religião que liberta, não são pastores, padres ou outros cargos ou funções que libertam, não são métodos ou receitas milagrosas que libertam, quem liberta é JESUS. 

Ele tem interesse em oferecer ao homem a dignidade perdida, uma vida de qualidade e o devido ajustamento social e familiar.

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. A verdade é Jesus.

Carlos Alberto Menezes da Costa

O autor é administrador, teólogo, pós graduado em metodologia do ensino superior e palestrante.