FOTO: Divulgação

O até então, superintendente de Gestão dos Gastos Administrativos do Governo do Estado, Júnior Gonçalves é o novo chefe da Casa Civil do Governo do Estado. O publicitário foi nomeado para a função na noite desta segunda-feira, depois de vários dias de dúvidas sobre quem seria o indicado para o cargo.

Júnior se destaca na equipe do governador coronel Marcos Rocha (PSL) desde antes da vitória nas eleições do ano passado e agora assume uma missão que tem sido alvo de críticas especialmente nos bastidores do parlamento estadual: a falta de proximidade do Governo com a Assembleia Legislativa do Estado (ALE).

O presidente da Casa de Leis, Laerte Gomes (PSDB) e outros parlamentares tem deixado claro em várias entrevistas à imprensa estadual que a relação entre os dois poderes tem deixado à desejar.

O distanciamento de secretários somado à falta de tratar com prioridade as demandas reivindicadas pelos deputados estaduais tem sido uma das reclamações. Mas a principal delas mesmo, é relação com o próprio governador, ao qual todos reclamam que não o recebem no gabinete, e nas poucas oportunidades fora do Palácio, tem sido monossilábico.

A relação à desejar também tem se estendido aos representantes da Bancada Federal. Tentando apaziguar, a maioria acredita que a falta de experiência política da nova Gestão Estadual seja a razão de tal comportamento, “e com o andar da carroça, a carga se ajeita”, como disse o deputado federal Lúcio Mosquini (MDB) em entrevista à Antena Hits na última semana.

Carta branca

De perfil apaziguador e estrategista na campanha, Junior Gonçalves pode ser a solução para estreitar melhor os laços entre o governador e os deputados estaduais e federais.

A chefia da Casa Civil era ocupada por Pedro Pimentel, que acumulava o cargo com o Planejamento. Mas segundo informações de bastidores, nas últimas semanas, Júnior Gonçalves já vem mediado na interlocução com a Assembleia.

Seguindo sua linha tênue de não alardear, já demonstrou que a nova função será vital nas conversações com o Parlamento Estadual e Federal importante para que a paz reine entre os poderes e assim, as coisas comecem a andar como devem. Que assim seja, pois como bem disse o deputado estadual Alex Redano, também em entrevista à mesma emissora em que foi Mosquini, “a população é a mais prejudicada com isso”.

 

FONTE: Rondonotícias