“Eu não vou morrer enquanto não me pedirem desculpas. Eu quero ouvir o William Bonner pedindo desculpas na Globo. [Imita o apresentador do Jornal Nacional]: ‘Boa noite. Queríamos pedir desculpas para o Luiz Inácio Lula da Silva porque tudo o que se falou dele foi mentira'”, afirmou Lula em entrevista publicada pela Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (21).

O ex-presidente faz críticas ao juiz Sergio Moro e ao procurador Deltan Dallagnol — que “deveria ser exonerado a bem do serviço público”. Lula acredita que será inocentado no caso do triplex, em que foi condenado por Moro a 9 anos e seis meses, no julgamento em segunda instância.

Para Lula, o único roteiro comparável ao seu é o da invasão do Iraque, em 2002.

“O [então presidente dos EUA George] Bush sabia que o Iraque não tinha armas químicas. O [então primeiro-ministro inglês] Tony Blair sabia. Inventaram uma mentira, sustentaram a mentira e conseguiram fazer a invasão por conta de uma mentira. Já faz 15 anos. Cadê a arma química?”

O ex-presidente também reafirma seu desejo de participar das eleições presidenciais de 2018.

“Como eu acho que eu vou ser cada vez mais inocentado, eu acho que no final vai prevalecer o bom senso nesse país. Como eles podem tentar evitar que um velhinho de 72 anos de vida, energia de 30 anos e tesão de 20 seja candidato? Não é possível.”