FOTO: Divulgação
Na tarde de segunda-feira, 08, duas vilhenenses procuraram a Unisp (Unidade Integrada de Segurança Pública) após terem sido vítimas de golpes na cidade. Os casos têm acontecido com frequência.

Na primeira ocorrência, ao ter seu cartão bloqueado, uma mulher de 24 anos procurou sua agência bancária para saber o motivo do bloqueio. Lá,  ficou sabendo que foram feitas transações suspeitas, de saques e depósitos, num total de 6 mil reais. Além disso, um empréstimo com a empresa MADM Financeira foi feito, e em contato com o atendente, a vítima soube que o contrato só será cancelado se ela depositar 500 reais referente à quebra.

Já no segundo caso, a vítima tem 20 anos e recebeu uma cobrança via WhatsApp, porém, não dizia o valor que deveria ser pago. Por ter uma dívida com sua prima, ela acreditou que era disso que se tratava, e foi até a Lotérica fazer o depósito em uma conta da Caixa Econômica Federal em nome de Fernanda da Silva Costa, que não é o mesmo nome da familiar a quem estava devendo.

Após o pagamento, ela entrou em contato com a prima, que disse que o número que entrou em contato não lhe pertencia. A vítima ainda tentou estornar os 650 reais que depositou, mas não foi possível.

Ambas as ocorrências estão registradas na Unisp e serão investigadas. Vale ressaltar que golpes iguais ao segundo caso vêm sendo denunciados pelos vilhenenses nas redes sociais, com frequência. Ao perceber a fraude, eles divulgam prints da imagem.

Um exemplo, uma consultora que recebeu uma mensagem dos golpistas, mas entendeu que se tratava de uma fraude e levou a conversa adiante. O bate-papo foi encerrado quando ela enviou uma imagem na porta da Delegacia de Polícia Civil para registrar a ocorrência. Uma cerimonialista também recebeu uma mensagem em que o estelionatário solicitava um depósito, e divulgou a imagem da tentativa de golpe.

Fonte: Folha do Sul