Principal homem da tropa de choque de Michel Temer, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, antevê uma perseguição penal ao presidente a partir de 1º de janeiro, quando o emedebista passa o bastão ao próximo mandatário da República.

Contra Temer, no momento, há dois inquéritos por corrupção no STF (Supremo Tribunal Federal) e mais duas denúncias criminais. O receio de Marun é que, sem foro privilegiado, o presidente possa parar na cadeia.

“Hoje em dia qualquer um pode ser preso, principalmente no império das prisões preventivas. O meu receio é que o devido processo legal não seja observado”, afirmou o ministro em entrevista ao blogueiro Josias de Souza.

“Eu tenho esse receio porque nós temos no Brasil duas categorias profissionais, talvez as únicas, que não têm nenhuma responsabilidade sobre os seus atos: juiz e promotor”, complementou.