Nota de Pesar pela morte do Delegado da Polícia Civil José Augusto Leite de Oliveira

jose augustoDoutor José Augusto sofreu uma parada cardíaca nesta madrugada e aos 77 anos deixa um grande legado aos filhos e netos

É com imenso Pesar, que a família Leite de Oliveira emite nota aos colegas e amigos tradicionais de Porto Velho e do todo Estado de Rondônia informando sobre o falecimento do honrado Delegado da Polícia Civil José Augusto Leite de Oliveira. Pai e profissional com mais de 30 anos de serviços prestados ao Estado de Rondônia.

Doutor José Augusto sofreu uma parada cardíaca nesta madrugada e aos 77 anos e deixa um grande legado aos filhos e netos tradicionais de Porto Velho. Seu velório está acontecendo na Funerária Dom Bosco, localizada na Avenida Pinheiro Machado com Getúlio Vargas, bairro São Cristovão. Seu enterro está previsto para acontecer a partir das 16h00 desta sexta-feira (05) no Cemitério dos Inocentes, bairro Mocambo.

Há mais de uma década o Doutor José Augusto Leite de Oliveira, após sua aposentadoria, vinha se dedicando ao lado do seu Neto Humberto Banchieri nos seus projetos audiovisuais na TV Comunitária de Porto Velho. Dentre estes, o programa audiovisual Estação Porto Velho, cujo objetivo era comentar sobre o sistema político de Rondônia, do Brasil e do mundo.

“É com profundo pesar, que eu e toda a minha família, que é oriunda da Polícia Civil do Estado de Rondônia, lamentamos o falecimento de um grande Delegado da Polícia Civil, de um grande comunicador, profissional ético, cidadão correto, enfim, um companheiro merecedor do reconhecimento de todos aqueles que tiveram a honra de conviver com este homem. A morte do Delegado e apresentador de TV José Augusto Leite de Oliveira nos deixa muito triste, mas temos que seguir as suas premissas do velho guerreiro. Minhas condolências à família enlutada, à classe dos Delegados da Polícia Civil e Agentes do Ex-território de Rondônia que tanto lutaram para garantir a ordem, a proteção e a justiça das famílias de nossa região, vá com Deus meu amigo”, Maique Pinto.

Associo-me e solidarizo-me, neste momento, à dor da sua família, na certeza de que, por tudo o que fez e representa para seus contemporâneos, há de estar entre os justos. Na Paz de Cristo irmão, amigo, pai e avô adotivo nos momentos reservados.

Assessoria