Operação prende quadrilha de roubo e adulteração de combustível em RO

gasolinaUma quadrilha que roubava, adulterava e vendia combustível foi presa em Porto Velho na Operação Octanagem, deflagrada na quinta-feira (4) pela Polícia Civil.

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) prendeu sete pessoas, entre eles o mandante da quadrilha; dois motoristas continuam foragidos. Segundo o delegado titular Marcos Vinicius Alves, uma denúncia anônima levou ao início das investigações que duraram cinco meses.

O delegado informou em coletiva de imprensa na manhã desta sexta (5) que os suspeitos atuavam há mais de um ano em uma chácara no bairro Nacional. “Os motoristas terceirizados de caminhões-tanques saíam da distribuidora de combustível, desviavam o caminho para a chácara, retiravam o líquido e depois adulteravam e entregavam para os postos de gasolina. O combustível retirado era vendido no local para outras pessoas. Dos nove mandados de prisão temporária, sete foram cumpridos”, explicou Alves.

Conforme o delegado, além de prisão temporária, três pessoas foram presas em flagrante por porte ilegal de arma. “Apreendemos oito armas, cinco caminhões-tanques, e uma grande quantia em dinheiro. Na chácara apreendemos ainda mais de 2,5 mil litros de combustível, reservatórios de combustíveis, notas ficais também foram encontrados nos locais”, informou Alves.

Segundo a Polícia Civil, foram necessárias 12 equipes e 60 policiais para atuar na Operação Octanagem; a Agência Nacional do Petróleo (ANP) acompanhou o trabalho dos policiais. “Todos os motoristas que atuavam na quadrilha são de Porto Velho, eles estão à disposição da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Os dois motoristas foragidos não estão na capital de Rondônia”, afirmou o delegado.

Os suspeitos responderão pelos crimes de furto qualificado, receptação, crime contra ordem econômica e crime ambiental. A Polícia Civil identificou pessoas que compravam o combustível sabendo que ele era roubado, eles foram ouvidos pelo delegado, mas não foram presos.
Uma segunda fase da operação irá ser realizada para identificar os donos de postos de gasolina que tenham sido vítimas da quadrilha.
A ANP coletou amostras dos combustíveis encontrados no local, o objetivo é detectar quais os materiais utilizados para adulterar os combustíveis distribuídos aos postos da cidade.

Hosana Morais G1 RO