Os impostos pesam mais no bolso do pobre, diz presidente do Sindafisco

PRESIDENTE DO SINDAFISCO verticalO Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Rondônia (Sindafisco) lembrou o Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte, que é celebrado neste dia 25 de maio, instituído pela Lei Federal nº 12.325, de 15 de setembro de 2010. O presidente da Entidade, Mauro Roberto da Silva, destacou que “ter uma data dedicada ao contribuinte não basta.  É necessário, realmente, o respeito ao contribuinte, com justiça fiscal”.

Mauro Roberto voltou a citar que o Brasil é um dos países com maior carga de impostos indiretos, ou seja, embutidos nos produtos (como os alimentos que fazem parte da cesta básica) e em serviços (como o fornecimento de energia elétrica). Ele ainda observou que Rondônia está entre os estados brasileiros que subiram em 2016 a alíquota do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) e do IPVA (sobre veículos).

Para o presidente do Sindafisco, os mais penalizados com alta carga tributária são os que têm menor poder aquisitivo, os que têm salários mais baixos. “O peso dos impostos sobre  consumo é maior que sobre renda e propriedade, por isso pesa muito mais no bolso do pobre do que no bolso do rico. O que se configura injustiça social”, explica Mauro.

“É injusto, no Brasil, um milionário ser isento de pagar IPVA referente a jatos, helicópteros, lanchas, enquanto o trabalhador que tem um carro popular não escapa da taxação do Fisco todos os anos. É necessária uma justiça fiscal sem favorecimento aos mais ricos, e que toda a população tenha o justo retorno dos impostos que paga todos os dias, com serviços públicos de qualidade”, finalizou o auditor fiscal Mauro Roberto.

Por Lucas Tatuí