PARÁ: Chuvas deixam treze municípios em situação de alerta

Atoleiro na BR-163 deixou isoladas cinco comunidades de Trairão. Defesa Civil do Estado está mobilizado para atender áreas mais afetadas.

Defesa Civil montou abrigos para atender famílias desabrigadas após enxurrada em Tucuruí.
(Foto: Reprodução/TV Liberal)

Treze municípios do Pará decretaram ou estão prestes a decretar situação de emergência por causa das fortes chuvas que atingem a região no período, o maior volume nos últimos dez anos de acordo com o Governo do Estado. Todo o contingente da Defesa Civil do Estado está mobilizado para atender os municípios mais afetados, situados em sete das 12 regiões de integração do Pará.

Segundo o governo, os municípios mais afetados são Trairão, Tucuruí, Eldorado dos Carajás, Itaituba, Santarém, Bragança, Rio Maria, Bannach, Rurópolis, Novo Progresso, Uruará, Santana do Araguaia e Conceição do Araguaia. Há registros de intensas e consequentes enxurradas, vendavais, inundações, erosões e surtos epidêmicos nos municípios, eventos relacionados com o ápice do inverno amazônico, que começou em dezembro e vai até abril.

O Governo do Pará informou que quase 30 agentes estaduais da Defesa Civil se deslocaram para atuar nas áreas de risco e aponta a situação de Trairão, no sudoeste do estado, como um dos casos de maior impacto, com mais de 12 mil afetados, devido ao bloqueio na rodovia BR-163 que resultou no isolamento de cinco localidades do município.

Em Tucuruí, no sudeste do Pará, a Defesa Civil montou abrigos na sede do Campestre, na Escola Manoel Carlos e na Escola Gumercindo Gomes, alojando cerca de 75 pessoas, entre adultos e crianças, após a enxurrada de sábado (25).

A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros também providenciaram alojamento no município de Eldorado dos Carajás, no sudeste do estado, para os prejudicados pela enchente do Rio Vermelho, que provocou enxurradas e inundações nos bairros de Abaeté e União, desalojando 260 famílias e destruindo ou danificando mais de 100 casas.

Segundo o Coronel Francisco Cantuária, coordenador-adjunto da Defesa Civil do Pará, o órgão ainda monitora a subida de nível dos principais rios, com especial atenção para Amazonas, Tapajós, Tocantins, Araguaia e Xingu. “As cheias típicas deste período costumam provocar grandes transtornos para a população ribeirinha”, ressalta o Coronel.