O desconhecido e pouco experiente coronel Marcos Rocha do PSL foi eleito governador de Rondônia para os próximos quatro anos. Sua votação foi superior aos 530 mil votos. Assim que foi eleito, ele saiu de férias e viajou para o Rio de Janeiro, sua terra natal. Faltando poucos dias para iniciar sua administração, o novo mandatário ainda não divulgou nenhum nome de sua equipe. A preocupação é geral. Muitos dizem que “ele está mais perdido do que cego em tiroteio” e que não fará uma boa administração para os rondonienses. Discípulo de primeira linha do “Mito” Jair Bolsonaro, nome a quem praticamente deve sua eleição, o militar tem tudo para ser um dos melhores governadores deste Estado. Superando inclusive o outro coronel, que é o verdadeiro Deus em terras karipunas, o gaúcho Jorge Teixeira. Condições não faltarão.

Pelo que se vê nos noticiários, Rondônia é um dos poucos Estados da federação cuja economia está saneada, sem maiores problemas futuros. Funcionários públicos pagos em dia, produção em marcha, arrecadação de impostos fluindo normalmente. Porém, se o “sinistro político” quiser alavancar ainda mais sua administração, basta resolver de imediato a situação do “açougue” João Paulo Segundo, uma das vergonhas de Rondônia. A construção de um novo hospital de pronto-socorro para Porto Velho e região certamente colocará qualquer político no rol daqueles que mais se destacarão. E todos nós sabemos que o coronel gostaria de fazer isto. A nova administração de Rondônia certamente não priorizará somente as elites ricas do Estado em detrimento das pessoas mais pobres e necessitadas. Nossa população é minúscula em relação ao Brasil.

Embora sisudo, o coronel Marcos Rocha deve ser um homem sensato. Por isso, demitirá todos os funcionários comissionados e não contratará mais nenhum deles. Todos os que forem contratados somente será por concurso público como manda a lei. Certamente o militar não fará acordos espúrios com os deputados estaduais e manterá uma “vigilância canina” sobre a Assembleia Legislativa do Estado. O novo governador vai com certeza não só combater a corrupção, como também saberá empregar cada centavo arrecadado em impostos. Nada de construções faraônicas com fins eleitoreiros. Ponte escura, Espaço Alternativo, viadutos íngremes, sede da Assembleia Legislativa, Palácio dos fóruns… Tudo isso deveria ser evitado. O nosso dinheiro será respeitado de agora em diante com os novos governantes. Nada daquela política do “toma lá, dá cá”.

Na educação, o “bravo coronel” vai implantar em todas as escolas o ensino integral. De início, somente com as primeiras séries do Ensino Fundamental e nos anos seguintes com as outras séries. Assim como na Saúde, a Educação de Rondônia terá todas as verbas possíveis. “Para a Educação e a Saúde, não haverá improvisos, tudo será disponibilizado dentro das possibilidades do orçamento”, será esse o novo pensamento. Porto Velho terá na futura administração uma atenção especial, pois o atual prefeito Hildon Chaves, assim como todos os outros, nada fez até agora pela sofrida capital. Todas as 52 cidades de Rondônia terão atenção especial e tudo será feito para atendê-las. Nada de desmatamentos nem agressões gratuitas ao meio ambiente. Fumaça no verão não haverá a partir de 2019, podem ter certeza. Se o coronel pensar assim, está de parabéns! Caso contrário, Rondônia continuará sendo a “porcaria” que sempre foi.

*É Professor em Porto Velho
http://blogdotionaza.blogspot.com