Paz uma Necessidade Atual – por Carlos Alberto

“A morte de cada homem diminui-me, porque sou parte da humanidade. Portanto, nunca procure saber por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”, essa frase de John Donne, pastor e poeta inglês remete aos horrores da guerra. Nos ensina que em meio às guerras não existem vencedores, todos perdemos. A humanidade perde, os prejuízos são incalculáveis, vidas são ceifadas, sonhos, projetos, esperanças, escorrem pelo ralo da destruição.

Na guerra não há progresso, não há desenvolvimento. Espera-se dos homens o mínimo de sensatez. Que promovam o diálogo e estabeleçam coordenadas que apontem para o caminho da civilidade e do consenso.

Todos os meios devem ser usados para que se evitem as guerras, pois nelas não se vislumbram glorias, conquistas verdadeiras, muito menos triunfos. Não pode haver alegria legitima em meio ao caos , à desordem, e às ruinas.

Guerras são travadas entre nações, mas também são travadas entre indivíduos e dentro de nós mesmos, mas em todas elas sofremos prejuízos, e suas consequências são arrasadoras.

Jesus afirmou em Mateus 5.9: Bem aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus. O Senhor Jesus sempre promoveu a paz, mesmo quando todos o incitavam a estabelecer a guerra, Ele melhor do que ninguém sabe das repercussões desastrosas, e da ação deletéria das guerras. Não há sabedoria naquele que, busca o conflito, a discórdia e a contenda.

Jesus é conhecido como o Príncipe da paz, ele é quem confere às nações e aos homens, os meios e condições para que vivam em harmonia, caso obedeçam a sua Palavra, a Bíblia Sagrada.

Uma das maiores dádivas do ser humano é a paz de espírito, a paz interior, sem ela não nos encontramos, não há lugar que nos conforte, nem atividade capaz de atenuar nossas inquietações.

Jesus foi o maior promotor da paz, é notável quando Ele conclama a amarmos nossos próprios inimigos, buscando a reconciliação, e a plenitude das relações sociais através do ajustamento das nossas diferenças.

A paz é um dos maiores legados deixados por Deus ao homem, é através dela que encontramos a quietude necessária para analisar os fatores que edificam nosso futuro e pavimentam nossos caminhos, com a devida firmeza e serenidade.

Que possamos promover a paz, que Deus possa reinar em nossos corações, através de seu filho Jesus. Ao Príncipe da Paz, a honra, glória e louvor.

Carlos Alberto Menezes da Costa

O autor é administrador, teólogo, pós graduado em metodologia do ensino superior e palestrante.

COMPARTILHAR