executiva ampliada do PDT se reúne nesta quinta-feira (8), na sede nacional do partido, em Brasília, para discutir rumos e prováveis nomes que disputarão as eleições de outubro. No encontro, o nome de Ciro Gomes foi confirmado como pré-candidato à presidência da República pela legenda.

De acordo com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, a reunião desta quinta foi uma grande demonstração de unidade e confirmou a candidatura própria do partido à presidência da República. Desde 2006, a sigla não disputa o cargo.

“Trabalhamos pesado neste último ano, percorrendo todos os estados brasileiros. Ouvimos nossa base, discutimos o futuro do país e chegou a hora de mostrar nossa cara para as eleições de 2018. Vamos disputar cargos majoritários em quase todos os estados – e no Distrito Federal – e teremos o nome de Ciro para nos representar na corrida ao Palácio do Planalto”, afirmou Lupi.

Nessa quarta-feira (7), Ciro se pronunciou sobre os cenários para as próximas eleições. Ele duvidou da candidatura de Michel Temer, “por indigência eleitoral aguda”, e fez afago no ex-presidente Lula. “Faz 16 anos que ajudo Lula, melhor que qualquer retórica é o testemunho de vida”, disse. “Se isso não falar por si, é porque há muita intriga tentando desfazer uma realidade de vida”, completou.

O presidenciável do PDT, que não tem pontuado de forma expressiva nas últimas pesquisas de intenção de voto, também disse acreditar que, sem o petista, cinco candidatos têm chances de crescimento: ele, Geraldo Alckmin, Rodrigo Maia, Jair Bolsonaro e Marina Silva.

O presidente do PDT informou que tem conversando com as demais forças progressistas do país e que, em breve, um cenário mais concreto será validado.

“É hora de conversar, reunir quem pensa como a gente, apresentar o nome de Ciro e suas propostas para o Brasil. Acredito que temos o melhor projeto e o nome mais preparado para conseguir tirar o país da estagnação e destas medidas retrógradas que temos acompanhando com o ilegítimo governo de Temer. Ciro é um homem íntegro, competente e não tem seu nome sequer mencionado na vala comum que atinge a política brasileira, com casos de corrupção por todos os lados”, disse Lupi.