Policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) identificaram novos envolvidos em um esquema que vendia históricos escolares e certificados de conclusão do ensino médio a diversas pessoas, inclusive a apenados.

A operação de repressão a fraude, denominada Vida Espúria, teve início em outubro do ano passado e, nesta quinta-feira (3), resultou no cumprimento de mais 11 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de proibição de acesso a determinados locais e um mandado de afastamento da função pública.

“Esta é a segunda fase da Operação Vida Espúria, onde se revelou um vasto esquema de venda de históricos escolares e certificados de conclusão do ensino médio nas escolas Maria Carmosina Pinheiro e São Luiz, que também serviram para apenados conseguirem o uso de tornozeleira eletrônica”, explicou o delegado Swami Otto, durante entrevista coletiva.
Os mandados cumpridos nesta quinta-feira são resultantes da análise dos materiais apreendidos na primeira fase da operação, deflagrada em outubro de 2018.

“Foram identificadas mais pessoas beneficiadas pelo esquema criminoso”, salientou Swami Otto.

Os envolvidos são investigados por corrupção ativa e passiva, associação criminosa, falsificação de documento público, falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informações.

“A Draco continuará as investigações, visando identificar outros apenados que tenham obtido progressão de regime ou outros benefícios mediante o uso de documentos escolares falsos”, explicou a assessoria da Polícia Civil.

Fonte: G1/RO