Rio-2016 foi mais rentável do que Carnaval, apontam números

O sucesso do turismo e das Olimpíadas é particularmente relevante pois a estimativa é a de que os visitantes, tanto nacionais quanto internacionais, sejam conquistados e retornem à cidade.

© J.P. Engelbrecht/Prefeitura do Rio

As Olimpíadas do Rio de Janeiro foram muito rentáveis para ao menos dois setores da economia carioca: hotelaria e bares/restaurantes. De acordo com Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), os hoteis da cidade conseguiram atingir 94% de ocupação média, entre os dias 1º e 21 de agosto. Já no quesito restauração, as vendas aumentaram cerca de 45%, revertendo as perdas do ano que eram de cerca de 25%, revela o SindRio, de acordo com o jornal O Globo.

“Foi muito bom. A hotelaria registrou um recorde de quase 56 mil quartos ocupados. O melhor é que foram três semanas de hotéis praticamente lotados. Pesa no resultado do ano porque estávamos com a ocupação em torno de 40%”, explicou Alfredo Lopes, presidente da ABIH-RJ.

O sucesso do turismo e das Olimpíadas é particularmente relevante pois a estimativa é a de que os visitantes, tanto nacionais quanto internacionais, sejam conquistados e retornem à cidade. Por causa do tempo de estada dos turistas na cidade, entre 12 e 14 dias, este evento superou Réveillon e Carnaval, cuja permanência é de 3 a 5 dias. Ainda segundo o jornal, o ano novo de 2016 registrou 85,93% de ocupação e o carnaval deste ano registrou 82,97%. Nos bares e restaurantes, a situação foi parecida. “As vendas cresceram em média 45% durante a Olimpíada. Nós esperávamos o pico e nos preparamos para ele. O resultado foi ainda melhor em áreas de maior concentração de hotéis, instalações olímpicas e de casas montadas pelos países”, revela Pedro de Lamare, presidente do SindRio.