A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) deflagrou a operação Pouso Forçado, nesta sexta-feira (29), para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão dentro da Secretaria de Saúde de Rondônia (Sesau).

Segundo informações de um funcionário da Sesau ao G1, em Porto Velho, vários servidores da pasta foram presos por policiais civis nesta sexta-feira.

Os mandados cumpridos são de prisão temporária, sendo assim ficarão presos por cinco dias, podendo ser prorrogado.

A Polícia Civil confirmou a operação e ressaltou que a investigação começou em 2017 com a contratação de táxi aéreo para serviço médico.

Na época, foi descoberto uma fraude e ficou comprovado nas investigações uma quantidade ilegal de voos.

Segundo a Draco, foram expedidos 13 mandados de prisão, sendo que um deles contra o ex-secretário Williames Pimentel. Ficou provado que uma empresa de táxi aéreo era beneficiada no esquema.

Segundo a Draco, foram expedidos 13 mandados de prisão, sendo dois deles contra os ex-secretários de saúde Williames Pimentel e Luiz Eduardo Maiorquin.

A Polícia Civil ainda tenta chegar ao paradeiro de Pimentel, que segue foragido.

Outro lado

G1 está tentando contato com a defesa dos presos na operação Pouso Forçado. Já a empresa Rima Táxi Aéreo, citada na investigação, informou que a diretoria está em reunião e deverá se posicionar sobre o assunto na tarde desta sexta-feira.

FONTE: G1