15/05/2012
Seu Benu andava matutando algumas coisas prá festa de seu centenário, ano que vem. Mas, como de costume, estava também “corujando” o noticiário nesta terça-feira bem cedo e aí virou para o meu lado e perguntou: “E nós?”.
E nós, o quê, seu Benu?
“Você não presta atenção mesmo. O ministro do STF, saiu na rádio agorinha, decidiu que o Cachoeira não vai depor hoje na CPI. E segundo o radialista o ministro alegou que a Constituição dá direito ao acusado de conhecer as peças do processo”.
Ele fazia referência à decisão do ministro Marco Aurélio de acatar recurso da defesa de Cachoeira para que ele não comparecesse à CPI.
Bom, e o que nós temos com isso?
“Ora, se o ministro citou a Constituição para não deixar o Cachoeira ir depor, por que ele não usa a mesma Constituição para forçar o Governo a fazer a parte dele? Afinal está escrito lá que é dever do Estado garantir alguns serviços, como a Segurança Pública, a Educação e a Saúde, mas apesar de estar na Constituição os governantes não cumprem e fica por isso mesmo. Daí que eu pergunto: E nós?”.
E completou: “Ou será que só quem tem contas a prestar na Justiça é que tem direito?”.

LÚCIO OPINA
Lúcio Albuquerque, repórter e membro da Academia de Letras de Rondônia