Mais uma vez a democracia prevaleceu e os trabalhadores do Judiciário decidiram quais medidas serão adotadas para fortalecer a luta pela jornada de seis horas por dia, após horas de discussões e deliberações. Pela primeira vez, em reforço à publicidade e transparência, o Sinjur fez uma transmissão de Assembleia-Geral ao vivo pela internet, compartilhando com as comarcas ou quem não pôde vir, na capital, o conteúdo dos debates e força da categoria, unida prol da implantação da jornada de trabalho isonômica para os servidores.

A categoria decidiu da seguinte forma: os trabalhadores de 11 comarcas votaram para aguardar resposta do Tribunal de Justiça quanto ao projeto para implantação da jornada de seis horas, via administrativa. Outras 10 optaram para que a primeira medida fosse a formulação de uma denúncia ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e uma comarca para que seja impetrado mandado de segurança. Ainda falta a ata de uma comarca, o que, no entanto, não altera o resultado dessas deliberações.

Outro ponto já definido é que não foi dada autorização pela categoria para utilização do Fundo de Greve para divulgação dessa luta. Atualmente, o FG tem mais 36 mil, referentes apenas aos repasses feitos em 2018, quando essa Diretoria assumiu o Sindicato. Se houvesse essa reserva desde a decisão da categoria, em 2013, estima-se que esse valor seria de mais de R$ 200 mil.

A assembleia feita na capital contou com mais de 80 participantes, e foi marcada pelas perguntas e manifestações dos presentes, assim como pelas explanações feitas pelos advogados Giselle Caldeira e Arão Gabriel, da Federação Nacional dos Trabalhadores no Poder Judiciário (Fenajud).

Paralelamente à Emenda Constitucional 130/2018, atualmente suspensa por liminar concedida pelo TJRO, há pedido administrativo feito pelo Sinjur dotado de mesmo objeto. Em razão disso, a categoria, por meio de decisão majoritária, decidiu que, pelo período compreendido até o final do recesso forense, seja aguardada resposta do TJRO quanto ao pedido para experimentação de jornada de 6h.

Transmissão histórica
Mais de 2 mil visualizações foram contabilizadas dos diversos vídeos da primeira transmissão feita ao vivo de uma assembleia-geral da categoria. A diversificação dos meios de participação, fez com que o interesse na discussão sindical fosse maior do que em outras oportunidades, na medida em que até a votação, com a devida alteração estatutária, poderá ser feita à distância, caso seja de interesse da categoria.

Fonte: Assessoria