Um vídeo mostra quando presos pulam o muro e fogem da Colônia Agroindustrial, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Na gravação, registrada na segunda-feira (13), ainda é possível ouvir mais de 20 tiros. A confusão deixou um detento morto e nove feridos.

Com um minuto de duração, o vídeo foi gravado dentro do presídio e enviado à TV Anhanguera por um telespectador, que preferiu não se identificar. Ele registra que os presos ajudaram uns aos outros a subir no muro. Em seguida, internos pularam as telas de proteção e correram em direção ao mato. Enquanto alguns fugiam, havia tumulto no pátio.

Inicialmente, a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou, por meio de nota, que nove presos tinham fugido. No entanto, nesta terça-feira (14), a corporação voltou atrás e admitiu que foram 32 fugitivos, sendo que 28 já foram recapturados.

De acordo com a secretaria, as forças policiais seguem em busca dos quatro homens que estão foragidos. A SSPAP reforçou que “todos os procedimentos estão sendo adotados para apurar as circunstâncias dos fatos”.

Seis presos feridos seguem internados no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) nesta terça-feira. Segundo a secretaria, eles estão em estado regular. “Todos os pacientes estão acordados, verbalizando, conscientes, respirando de forma espontânea e internados na enfermaria carceragem”, citou o comunicado.

O superintendente de Segurança Penitenciária, tenente-coronel Giovane Rosa da Silva, admite que a segurança da Colônia Agroindustrial não é a ideal. “Aqui, a unidade é denominada semiaberto. Ela não é uma unidade prisional padrão. Realmente, existe uma certa facilidade, o regime já é mais abrandado neste momento do cumprimento da pena, porém, a lei ainda prescreve que devem ficar recolhidos aqueles que não estão trabalhando externamente, os que estão trabalhando devem trabalhar e retornar à noite”, disse Silva.

O superintendente ainda defende que as equipes de segurança agiram prontamente diante do tumulto registrado na segunda-feira. “Prova disso é que praticamente todos foram automaticamente contidos ou recapturados. Os agentes fizeram a primeira intervenção e, automaticamente, o Grupo de Operações Penitenciárias Especiais também entrou no cenário de forma integrada com toda a Polícia Militar”, declarou.

Vídeo mostra quando presos pulam muro e fogem de presídio em Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)Vídeo mostra quando presos pulam muro e fogem de presídio em Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
Tiroteio
A confusão de segunda-feira foi a segunda que resultou na morte de presos no Complexo Prisional em menos de 20 dias. No último dia 23 de fevereiro, um tiroteio dentro da Penitenciária Odenir Guimarães (POG) deixou 5 detentos mortos e outros 35 feridos.
Entre os mortos estava Thiago César de Souza, conhecido como Thiago Topete, líder de uma quadrilha de tráfico de drogas. Houve uma briga entre as alas que culminou na troca de tiros.

Apesar dos problemas, nenhuma fuga foi registrada na ocasião. Como parte da estrutura foi destruída, a SSPAP precisou transferir 558 detentos para o Presídio de Anápolis, que sequer havia sido inaugurado.

A Justiça determinou o retorno deles à unidade de origem em 15 dias, mas a secretaria afirmou iria pedir mais tempo para realizar o procedimento, cujo prazo termina na próxima quarta-feira (15).

Nesta tarde, o G1 apurou que cerca de 300 detentos que foram transferidos fazem greve de fome e depredam as celas do presídio de Anápolis, de acordo com informações do Conselho da Comunidade de Execução Penal de Anápolis. Segundo a entidade, os internos protestam porque querem voltar ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Presos do semiaberto fogem do Centro de Prisão Provisória (CPP) em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Presos do semiaberto fogem de presídio em Aparecida de Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)